terça-feira, 10 de agosto de 2010

Transporte e Excreção do Colesterol

Como já foi dito antes o transporte do colesterol como de outras moléculas hidrofóbicas é feito pelas lipoproteínas, que são formadas por proteínas transportadoras chamadas de apoprotreínas ou apolipoproteínas e as moléculas hidrofóbicas. Nesse post irei falar resumidamente um pouco sobre cada uma das lipoproteínas e no final irei falar também da excreção do colesterol.



Quilomícron
É sintetizado no intestino delgado e tem como função transportar os lipídios que foram absorvidos a partir da dieta. Composto pela apo C-II ,que irá ativar a lipase lipoproteica, essa enzima por sua vez irá hidrolisar o triglicerídeos liberando os ácido graxos para os outros tecidos onde serão armazenados ou consumidos e glicerol que pode ir para via de gliconeogênese. Os quilomícrons remanescentes irão para o fígado.

VLDL e IDL
VLDL é uma lipoproteína de densidade muito baixa que irá transportar triacilglicerideos, fosfolipídios, ésteres de colesterol e colesterol do fígado para os tecidos periféricos, quando estes excedem a necessidade dos hepatócitos. A IDL tem densidade intermediária e tem a mesma função que a VLDL, ou seja, a IDL é a VLDL com menos triacilglicerídeos.

LDL
Como no outro post já havia explicado um pouco mais sobre a LDL, falarei bem simplificadamente sobre esta lipoproteína, caso queira saber mais clique aqui. É uma lipoproteína de baixa densidade sendo que é originada a partir da perda de triacilglicerol da IDL. A maior parte de sua composição é de colesterol e esta como já foi dita irá transportar o colesterol do fígado para os outros tecidos.

HDL
Já sobre HDL fui bem sucinta no post anterior, por isso neste de agora explicarei um pouco mais sobre essa lipoproteína. A HDL irá fazer o transporte do colesterol dos outros tecidos para o fígado. A sua síntese ocorre no fígado e no intestino, após ser sintetizada é formada por muita proteína e pouco teor de colesterol sendo chamada de HDL nascente. O excesso de colesterol nas células dos tecidos periféricos é passado para o interior do HDL, onde estarão na forma de éster de colesterol, a HDL passará a ser chamado agora de HDL madura. O colesterol é levado para o fígado onde poderá ser utilizado na formação de sais biliares, a única forma de excreção deste. A HDL também pode ser removida para os órgãos que irão produzir hormônios esteróides.


Falarei agora sobre a excreção do colesterol que é feita a partir da formação de sais biliares, pois no organismo não é possível degradar o anel esteroídico em CO2 e H2O. Os ácidos biliares são formados no fígado a partir do colesterol e serão armazenados na vesícula biliar, onde o pH é alcalino, em com isso serão chamados agora de sais biliares. Os sais biliares atuarão no intestino delgado onde participarão da emulsificação dos lipídios e vitaminas lipossolúveis, para facilitar a digestão e absorção desses. Parte dos ácidos biliares voltarão para o fígado para serem reutilizados ou serão excretados nas fezes.

Fontes:

  • MARZZOCO, Anita; BAYARDO, Baptista Torres. Bioquímica Básica.
  • LEHNINGER,Princípios de Bioquímica.

Ada Bento

Um comentário: